Image module

Currículo x portfólio

E aí? Currículo ou portfólio? Qual a diferença entre os dois?

Bom, já falei bastante por aqui a importância de um bom currículo e que um currículo sem portfólio não tem valor. Não viu esse vídeo? Para tudo, vai lá e depois volta aqui.

Viu? Ótimo. Vamos em frente.

É o seguinte: currículo é um breve histórico. Ele conta rapidamente sua história, suas habilidades, suas experiências, seus interesses…

Mas… sua história fica muito mais rica quando ilustrada. Ou seja, não so conte que você domina. Mostre! Não só conte que você domina Cad, mostre um projeto técnico que você desenvolveu no cad. Não só conte que você domina sketch e vray. Mostre uma bela imagem, realística desenvolvida por você. Mostre seu trabalho.

Já sei. Você deve estar pensando assim: mas eu não tenho trabalhos. Tó começando. Tem sim. Sabe o projeto que está desenvolvendo agora na faculdade? Capricha!!!! Porque ele já vai pro portfólio. Ah! Só tem um? Ou ainda são poucos? Inventa!!! Faz a reforma da sua casa, seu quarto… crie demandas. Não em problema nenhum. Você está mostrando suas habilidades em dar soluções a problemas e demandas e o seu domínio de ferramentas para fazer grandes apresentações. É isso que os profissionais querem ver.

Lembre-se sempre: para conseguir um estágio ou emprego em um escritório de arquitetura ou design você precisa de habilidades técnicas. Ok. Novidade nenhuma ne? Isso você já sabia. Mas além disso, o seu estágio ou emprego depende também de como você expõe essas habilidades. Ou seja, seu portfólio.

Então vamos as dicas

  1. A apresentação gráfica do portfólio é tão importante quanto o conteúdo dele

Isso pode ser um critério eliminatório. Seu portfólio pode nem ser visto se não for atrativo. Tem que ser organizado, com capa, currículo, pode ter sumário, páginas uniformes, padronizadas e coerentes.

 

  1. Não envie currículo avulso, sem portfólio.

Currículos apenas com textos não serão analisados. Mostre suas habilidades. Não adianta só contar. Inclua o seu currículo no seu portfólio. Seu currículo deve ser claro e conter todas as suas informações. Você já sabe isso ne?

 

  1. Portfólio não precisa ser grande, precisa ser ótimo. Melhor dois projetos hiper bem feitos e bem apresentados do que vários medianos.
  2. Pdf único sempre! Nunca envie arquivos abertos editáveis e soltos.
  3. Desenhos técnicos são sper bem vindos. Com detalhes arquitetônicos então nem se fala. Mas cuidado com a legibilidade. Não é necessário explicar tudo e encher de informações. Seja breve e direto. É melhor passar a ideia geral do projeto e mostrar suas habilidades. Tá ótimo.
  4. Envie e-mails individuais e personalizados para os escritórios de seu interesse. Nada de mandar para um mailing gigante de arquitetos de uma vez hein!
  5. Por fim… diga sempre a verdade. Seja você mesmo. Não vai adiantar mentir ou exagerar. Poucos dias no trabalho vão mostrar quem você realmente é. Ah! Sobre isso uma pergunta frequente: posso colocar um trabalho que fiz no meu antigo estagio? Antes de qualquer coisa, pergunte ao autor do projeto. Se for autorizado, coloque. Mas sempre deixe claro de que é a autoria e qual sua verdadeira participação. Ex: participação na apresentação do projeto X utilizando sketchUp e vray do escritório de arquitetura Y.

 

E não se esqueça nunca de mencionar que aprendeu softwares na escola Desenhar se esse for seu caso. Esse é um grande diferencial. Se não aprendeu aqui, ainda dá tempo. Temos cursos online e presenciais.

 

Image module

O que  está no seu currículo?

Ter um bom currículo é muito importante para todos os estudantes e profissionais. Mas o que é o que é ter um bom currículo?

Você é estudante?

Bom, então coloque sem dúvida nenhuma o seu período, o curso e a faculdade que está cursando. Coloque os cursos de softwares que já fez. Se não fez, faça! E só depois distribua seu currículo por aí. Como já disse algumas vezes aqui, será bem difícil conseguir um estágio de arquitetura ou design se não dominar pelo menos autoCad, sKetchUp e Vray. Se souber um software BIM (Revit ou archcad por exemplo) MARAVILHA! Ponto extra para você.

Sabe inglês? Espanhol? Italiano? Coloque. Claro!

Já morou fora? Nossa que experiência! Não deixe de contar.

Já foi monitor de alguma disciplina na faculdade? Fez bolsa cientifica? Excelente.

Já teve alguma experiência profissional, mesmo fora da área?  Pode ser vendedor de roupa, de carro, secretária, algum cargo auxiliar… pode colocar também se quiser.

Mas…se não tem experiência profissional nenhuma não tem problema. Mostre que está muito interessado e disposto a ter a primeira.

Quer colocar suas habilidades comportamentais? Acho legal. Se você é dinâmico, extrovertido, gosta de desafios…sei lá. Pode colocar. Mas não minta. Na primeira entrevista já dá para avaliar seu temperamento.

Pode ser legal também colocar seus interesses e objetivos. Por que gostaria de estagiar naquele escritório? É uma área de atuação que te interessa? Gostaria de aprender mais sobre isso Conte!

Não preciso falar que erros de português são inaceitáveis não ne? Isso foi muito obvio. Outra informação meio obvia é: coloque seus contatos. Não adianta gostar de você e não te achar ne? Coloque seu telefone, whatsapp, email… ah! Instagram!!! outra dica preciosa: seu instagram só deve ser mencionado se mostrar seu lado profissional e interessante. Se for só curtição e balada, melhor não colocar. Alias…repense seu instagram. Ele pode ser um ótimo aliado do seu currículo.

Mas…agora…por favor…não envie um currículo sem graça. Estou falando graficamente mesmo. Currículo no word, sem cor nem imagem não ne?Afinal de cntas você será um arquiteto ou designer. Mostra suas habilidades, paixões e criatividade desde já. Saiba escolher as cores, as fontes, preocupe-se com contrastes, legibilidade, harmonia…tudo! Use e abuse de infografia. Sabe o que é isso? informação através de imagem. Isso causa interesse e passa informações com rapidez.

“Tenho que colocar uma foto minha?” Não, não tem…mas pode se quiser. Se optar por colocar tire partido disso. O currículo é preto e branco? A foto também pode ser. Mas se ela é colorida, evite estampas e informações demais, mas ela pode ditar a paleta de cores escolhida para o currículo como um todo.

Bom, as possibilidades são infinitas.

“Ah! E meus hobbies, posso colocar?” Depende. Depende do tom do seu currículo. Está mais descontraído? Seu hobby é legal? Então põe. Mas tem que ser algo que acrescente. Por exemplo: fotografia. Legal! Corredor, ciclista, triatleta. Super legal! Eu acho. Isso mostra que você é no mínimo disciplinado.

Olha, não existe certo e errado. Pesquise antes o perfil do escritório que vai enviar o currículo. É mais descolado ou formal? E você? Qual seu perfil? Não force a barra…fica estranho.

Prefere ficar no básico? Ótimo. Sem problema nenhum! Arrase na diagramação do currículo, na escolha de cores e fontes, domine softwares e conte isso.

 

Ah! Muito importante: currículos hoje são mais enviados que entregues, ou seja, são arquivos digitais. Turma, salve em PDF, não envie um arquivo aberto editável.

Agora, se você é um profissional, ter um bom currículo, passa por isso tudo e muito mais. Além do domínio de softwares, etapas de desenvolvimento de projeto, boa apresentação gráfica, você deve ter experiencia profissional. Por isso, comece cedo. Estágios, cursos, viagens, congressos, palestras, workshops, especializações, quem sabe até mestrado e doutorado? Depende do seu interesse. Mas construa seu currículo. Só depende de você.

Mas posso te contar uma coisa?

Um currículo sem um portifólio não vale nada… você precisa além de contar, mostrar suas habilidades, enviando também um portifólio.

Tema para um próximo texto.

 

Mas de uma coisa eu tenho certeza. Ter o nome da Desenhar no seu currículo faz uma enorme diferença. Pode acreditar.

 

 

 

Image module

Você participa de concursos?

 

Você que é estudante ou profissional de arquitetura ou design, você participa de concursos?

 

Meu nome é Juliana Stark, sou arquiteta, diretora da Escola Desenhar e professora universitária. Sempre falo para os meus alunos: participem de concursos!!!

É difícil? É difícil!  É corrido? É corrido! Dá trabalho? Demaaais!

Mas você é desses que desiste do que é difícil e trabalhoso? Não né? Ah bom…então é dos meus. Vamos em frente. Vou te contar algumas vantagens e tenho certeza que você vai se inscrever no próximo.

Saiba que ganhar um concurso de arquitetura ou design pode mudar sua vida profissional. Você vai alavancar sua carreira, será conhecido, ou reconhecido…pode ter seu trabalho divulgado em sites, blogs, revistas e outros canais especializados.

Imagina, ser avaliado por um júri com larga experiência e ter o trabalho como vencedor? Para poucos? Claro que para poucos! Aí está a adrenalina.

Mas a participação em concursos vai muito além de vencer.

Vamos as vantagens

  1. Você aprende a trabalhar sob pressão. Prazo estipulado sem choro nem vela. Não adianta ligar e falar que teve um imprevisto.
  2. Você vai treinar uma boa apresentação. A apresentação tem que ser impecável. Projeto mal representado ou fotos ruins fazem seu trabalho ser desclassificado.
  3. Você vai estimular sua criatividade saindo da rotina e demanda da faculdade ou escritório.
  4. Você vai aprender a trabalhar em equipe. Não é obrigatório o trabalho em equipe, mas muitas vezes é essencial pelo prazo curto e escopo longo. E isso é ótimo. Saber trabalhar em equipe faz parte da nossa vida profissional. Seja através de sociedade, ou como funcionário de alguém e você tem que relacionar bem com seu líder e com o restante da equipe, ou seja como dono da empresa que lidera uma equipe. Saber se relacionar é fundamental.
  5. Enriqueça seu portfólio. Sempre digo isso: TENHA UM PORTFÓLIO. Arquitetos e designers não têm currículo, têm portfólio. Ok ter um currículo legal, bem apresentado, criativo ou descolado que conte sobre você e sua experiência, mas ele não vale nada se não MOSTRAR suas experiências e habilidades. Somos visuais. Quer vai te contratar quer VER suas habilidades. Mas isso pode ser tema para um próximo vídeo. Quem quer saber mais sobre como fazer um portfólio, comente aqui.

Bom, alguns concursos são só para profissionais, outros podem ser também para estudantes. Alguns são para trabalhos acadêmicos, ou seja, trabalhos desenvolvidos na faculdade. Seu TCC por exemplo. Então fique de olho e capriche.

Quer exemplos para trabalhos acadêmicos? Prêmio Saint Gobain e o Ópera Prima.

Quer saber opções para profissionais e estudantes? Tem um site chamado concursosdeprojeto.org   um mundo de opções. Nacionais e internacionais.

Além disso tem muito concurso oferecido por fornecedores do mercado de arquitetura e design, como fornecedores de louças, metais, mdf…é só ficar de olho. Bem atento!

 

Bom, esse assunto todo começou porque esses dias eu estava enviando projetos para concursos e resolvi filmar e compartilhar nos stories da Escola Desenhar. Me inscrevi no Brasil Design Award, no Museu da Casa Brasileira e no Prêmio Salão Design. Três prêmios que admiro muito e são da minha área. Design de mobiliário. Para quem não sabe eu tenho também um estúdio chamado Stark Studio.

Compartilhei sobre a importância de ler, entender e atender o edital, falei sobre a boa apresentação de projeto, fotos e vídeos – sim, alguns pedem vídeos, fique atento ao edital.

Mas o compartilhamento foi um sucesso. Recebi uma enxurrada de feedbacks e perguntas. Por isso resolvi gravar esse vídeo.

Querem saber o resultado? Bom, até agora posso dizer que vencemos o Brasil Design Award mais uma vez. Mas ainda não sei com qual produto. Isso a gente fica sabendo só na cerimônia de premiação.

Além disso, o N Coisas, que foi vencedor do Brasil Design Award 2018, esse ano passou para a segunda fase do Prêmio Museu da Casa Brasileira. Está lá para avaliação do júri especializado, que aprovou nossa peça, nosso projeto, nossa apresentação gráfica e nossas fotos. Agora querem ver de perto. Que honra. Difícil? Muito! Mas se fosse fácil não teria graça…

 

Tudo que eu, como representante aqui da Desenhar quero é ver você brilhando profissionalmente.

Pode contar comigo. Qual sua dúvida? O que quer aprender mais? Se eu não conseguir te ajudar, conheço quem consegue.

Pode entrar em contato comigo como preferir, email, direct, telefone, whatsapp…todos nossos contatos estão no site da Desenhar.

 

Image module

Por que escolher a Desenhar?

 

Vou te contar um pouquinho da história da Desenhar para você entender nosso objetivo, e onde queremos chegar.

Meu nome é Juliana Stark, sou arquiteta, empresária, professora universitária e diretora da Escola Desenhar. Meu propósito é ajudar estudantes e novos profissionais a entrarem e se desenvolverem no mercado de trabalho. O meu diferencial é aliar o desenvolvimento de habilidades técnicas com habilidades comportamentais.

Bom, a história da Desenhar começou muito antes do seu nascimento. Em 1999 eu estava no sétimo período do curso de arquitetura na EAUFMG, no auge do crescimento do uso da ferramenta AutoCad, quando fui convidada para desenvolver e ministrar um curso junto com minha amiga Patricia Soares (hoje arquiteta especializada em patrimônio) a quem sou grata para além da eternidade. E ainda amigas, diga-se de passagem.

Como poucos profissionais dominavam a nova ferramenta, havia uma demanda de aprendizagem e déficit de profissionais para ensiná-la. Então lá fomos nós…ganhamos a parada. Ainda estudantes e já ministrávamos o curso de extensão de AutoCad 2d e 3d no laboratório da Escola de Arquitetura da UFMG.

E lá se foram quase 10 anos…a sementinha da Juliana empreendedora cresceu. Brotou. Nasce a Escola Desenhar. Uma escola especializada no ensino de softwares destinados a arquitetos, engenheiros e designers. Por aqui passam centenas de profissionais e futuros profissionais anualmente. Só gente bacana, que quer aprender cada vez mais e ser cada dia melhor.

Em 2018, quando fizemos exatos 10 anos, foi visível o amadurecimento da Escola.

Nos multiplicamos. Nossas aulas não são mais apenas no nosso espaço físico. Podem ser também por videoaulas ou online ao vivo, podem ser nas empresas, nas faculdades ou em outras cidades…

Nos demos conta da nossa total responsabilidade. Se milhares de profissionais que estão no mercado hoje passaram por aqui…caramba! temos uma força gigante na formação desse mercado. Podemos e devemos ensinar muito mais que ferramentas. Nos conectamos mais ainda com o mercado. Mudamos de espaço. Fomos para a Stokler 140, onde funcionam empresas das áreas afins.

Foi aí então que surgiram os três pilares que sustentam a Desenhar hoje:

-Ensino das ferramentas de projeto

-Desenvolvimento de projetos

-Desenvolvimento de carreira

Alunos que trilham o caminho completo da Desenhar estão prontos para em bom emprego ou para administrarem o próprio escritório.

Acreditamos fielmente que o trabalho e foco nesses três pilares é capaz de transformar trajetórias. Ninguém entra no jogo pra perder, desiludir ou desistir, mas muitas vezes não fazemos esforço suficiente para ganhar.

Tem que ter foco, vontade e persistência e a Desenhar quer ajudar nessa caminhada.

 

 

Image module

Você sabe o que é um moodboard?

Talvez você já faça moodboard sem saber. Quer ver? Pense na seguinte situação: você vai começar um projeto… O que você faz? Aposto que recorre ao Google, Pinterest, revistas e separa, corta, salva imagens. Não é? Aquele projeto não sai da sua cabeça, então todo lugar que você vai, você olha tudo, passa a mão no tecido, no papel de parede, tira fotos de detalhes que gostou e remetem àquele projeto. Pega seu mostruário de tintas e marca com post its, põe clips no mostruário de tecidos, experimenta os tons da madeira, colocando um sobre o outro. Espreme um pouquinho os olhos, vira a cabeça pra um lado, para o outro e fica minutos em silencio. Acertei?

Então…organize todas essas referências em um painel e você criou seu moodboard.

Mooodboard é um painel de referências visuais do seu projeto. Pode ser chamado também de painel semântico. É composto normalmente por imagens, textos e amostras de objetos, texturas e materiais. Ele deve representar “a cara” ou “a alma” do projeto. Normalmente é apresentado junto com o estudo preliminar, ou seja, com a primeira ideia do projeto.

Mas para que serve um moodboard?

O objetivo do moodboard é expressar uma sensação ou sentimento e contar uma história com as referências que nortearam o início daquele projeto. Além disso o painel semântico te ajuda a visualizar suas ideias e encantar o seu cliente. Mostre para ele as suas referências, suas pesquisas, de que fonte você bebeu para criar o projeto dele. Um bom trabalho inicial diminui as chances de mal entendimento e consequentes erros.

Além da paleta de cores, texturas e acabamentos, transmita sensações: aconchego, descanso, trabalho, amor, amizade. Quer um exemplo? Você pode simplesmente mostrar modelos de mesas e cadeiras em um espaço gourmet ou pode acrescentar a essa imagem, o vinho, o violão, os amigos e o time do coração. Entendeu? Aposto que seu cliente vai esboçar um sorriso nesse momento. Sim! Sabe por quê?  Ele já se imaginou torcendo com amigos, comemorando, divertindo e aproveitando aquele espaço. Esse é nosso papel. Nós profissionais somos capazes de trazer qualidade de vida e construir lares. Isso vai muito além da nossa habilidade técnica de projetar casas.

 

 

 

Image module

A VIDA COMO ELA É

Me atrasei 6 dias para escrever esse texto. Sabe porquê? Por que é assim que a vida é. As vezes tumultua tudo, sai do trilho e a lista de prioridade vira de ponta cabeça. Normal. Mas nem por isso desisto da minha lista, muito menos dos meus objetivos.

Eu precisava escrever sobre isso. Convidei o arquiteto Cioli Stancioli e a arquiteta Juliana Cordeiro para falarem sobre “a vida como ela é”. Juliana e Cioli são amigos que a arquitetura me deu. Na verdade, com a Ju a arquitetura só estreitou os laços, já nos conhecíamos desde a época de colégio. Cioli, nos conhecemos fazendo mostras de decoração juntos. A primeira foi Casa Cor 2010 e de lá pra cá nos tornamos grandes amigos. Escolhi os dois porque são grandes profissionais com pontos fortes bem diferentes. E isso e bacana né? Saber que cada um de nós tem um ponto forte e que isso pode ser nosso diferencial quando bem explorado e trabalhado. Cioli é artista. Sabe aquela crença de que todo arquiteto é artista? Pois é… mentira viu? Nem todos são. Mas Cioli é. Um artista que escolheu arquitetura ou foi escolhido por ela, não sei bem…

Já a Ju adora afirmar: “Não sou artista”. Acredito que repete essa frase para tirar um peso de cobrança das costas. Mas é uma arquiteta empreendedora como é raro de se ver. Empreendedores são líderes. Lideram pelo exemplo. São executores. Fazem acontecer. Ju sempre foi assim, desde o colégio. Era aquela que organizava tudo e botava pra quebrar. Não entenda empreendedor apenas como a pessoa que tem um negócio próprio.  Empreendedor é aquela pessoa que não vê problemas. Ele enxerga desafios e adora buscar soluções. Ou seja, podemos ser grandes empreendedores a frente de nossos negócios ou dentro de outras empresas. Sempre digo aos meus alunos: “seja aquele que puxa a turma pra cima, nunca pra baixo.” Sabe aquele reclamão? Tudo está ruim. A aula está ruim, o trabalho está grande, o sono está demais…pois é…sai fora. Seja aquele que levanta a mão pra ser o primeiro a apresentar o trabalho. Sem medo. E faça (mesmo sem querer) que todos os outros deem o melhor de si.. Isso aí. Puxou pra cima.

Bom, nosso bate papo aqui foi incrível. Cioli falou sobre apresentação de projetos, imagens 3d, render, desenhos a mão livre e…valor de projeto! Ahhhh….que tema difícil né? Isso envolve tanta coisa. E daí já emendamos no tema “Ética Profissional”. Tema delicadíssimo também mas extremamente necessário. Nossa ideia não é deixar essa galera que está chegando preparadíssima? Então é isso aí. E eles estão dando um show. Deu pra perceber pelas perguntas e comentários. Todo mundo querendo ser muito profissional, valorizar e ensinar ao cliente o valor e importância da nossa profissão… sim! Muitas vezes o cliente não entende bem o que a gente faz. Não é culpa dele. Nós devemos explicar tudo. Como bem disse a Ju: “muitas vezes o cliente não jogou ainda esse jogo. Ele não conhece as regras. Vamos ensinar? Simples assim.

Juliana falou lindamente sobre a importância das perguntas. Onde quero chegar? Por que? Como? E deu um show ao afirmar que o papel do arquiteto e designer de interiores é entregar soluções que tangem funcionalidades, legislação e estética. Por favor, nosso papel não é fazer bonitinho. É muuuuuuuito mais que isso. Algumas pessoas não sabem disso. Vamos contar? Vamos explicar? É NOSSO papel.

Conversamos mais um pouco sobre precificação, além de etapas de projeto, importância da parceria entre profissionais e o poder da palavrinha mágica NÃO! “Não, eu não faço esse tipo de projetos mas tenho um grande profissional para te indicar”. Não é mais justo e correto assim? É a importância do foco e nicho. Especialize-se. É impossível fazer tudo. Quem faz tudo não faz nada bem feito.

Disso tudo eu tiro que: pessoas precisam de pessoas. Que bom ter amigos tão competentes que vem aqui num sábado de manhã para compartilharem experiência e conhecimento. Que bom que tenho ex, atuais e futuros alunos que contam com a Desenhar para aprenderem cada vez mais e fazerem um mercado cada vez mais ético e profissional.

 

 

Image module

O que você quer ser quando crescer?

Quantas milhões de vezes já te fizeram essa pergunta? Você era desses que tinha preguiça quando te perguntavam isso ou sempre tinha uma resposta na ponta da língua? Normalmente astronauta, jogador de futebol, professora…

Mas a verdade é que você cresceu. Consegue ser ver assim ou ainda se enxerga como criança?

Hoje as perguntas são mais complexas. Você já escolheu o que vai ser quando crescer. Agora é o momento de perguntar: Onde você quer chegar? O que pretende fazer para chegar lá?

Mas antes de pensar nessas perguntas posso fazer uma mais doloridinha? Responda com sinceridade.

Está satisfeito com sua escolha?

Quer exercer realmente a profissão que escolheu ou apenas receber um diploma?

Isso faz muita diferença.

Bom, passado o soco no estômago, voltemos.

Onde você quer chegar?

O que pretende fazer para chegar lá?

É chato ter que pensar nessas respostas né? Mas é essencial.

Eu estou sempre cercada de livros e vídeos que me inspiram, que me animam, que mexem comigo, que me fazer querer ser melhor a cada dia. No livro que finalizei ontem (e já comecei outro hoje, claro!), tinha uma passagem que me fez pensar bastante e até mesmo escrever esse texto.

“O verdadeiro propósito de um objetivo não é atingi-lo, e sim se desenvolver até virar o tipo de pessoa capaz de conquistar objetivos, quer você atinja aquela meta específica ou não. É a pessoa em quem você se transforma ao dar tudo de si por esse objetivo até o último momento que mais importa, independentemente dos resultados.”

Entendeu? Confesso que não tinha pensado nisso. Quando você decide manter o foco em algum objetivo a ser alcançado, você fica concentrado, fiel, cheio de propósito. Sendo assim, um objetivo ambicioso faz você se conhecer melhor descobrir o que é capaz de fazer.

Se pudesse te dar conselhos seriam: leve a faculdade a sério. Tenha uma postura profissional. Entregue trabalhos como se tivesse entregando para clientes hiper exigentes e com potencial para entrarem para seu portfólio. Faça estágios. Descubra sua paixão e habilidade. Seja aquele que puxa a turma pra cima. Nunca o que puxa pra baixo.

Você pode ser o que quiser.  Onde quiser. Mas faça com vontade. Voe. O céu é o limite.

E pergunte-se sempre: quem eu estou me tornando?

 

 

 

Image module

O que não está no seu currículo?

Dedico grande parte do meu tempo a ensinar e ajudar. Para isso preciso estar muito atenta a tudo. Me interesso bastante em acompanhar cases de sucesso em qualquer área. Leio livros, assisto vídeos, filmes, qualquer coisa que me faça refletir sobre carreiras.

O profissional do futuro

Em um dos meus momentos de estudos, me deparei com um vídeo no Youtube que adorei. Michelle Schneider falando sobre o profissional do futuro no TED.

Bom, não vou contar tudo aqui, afinal são quase 20 minutos de vídeo e acho que vale cada segundo de atenção.

Eu não conhecia o trabalho da Michelle. Ela se apresenta como uma pessoa que trabalha no Linkedin e por ironia do destino conhece Alexandre Hohagen, o cara que trouxe facebook e google para o Brasil, por acaso dentro do avião.

Conversaram de tudo um pouco e ela não se aquietou enquanto não fez uma pergunta que pudesse contribuir para sua vida profissional. Então tomou coragem e perguntou a ele:

“O que você olha antes de contratar alguém?”

Ele disse que olhava muito quem era aquela pessoa fora do ambiente de trabalho. Ela disse que no Linkedin, eles têm uma dinâmica parecida. Todo mês acontece uma reunião interna e os novatos têm que ir na frente e dizer o que não está no perfil do linkedin deles…é uma maneira parecida de descobrir essa habilidade.

Nossa…como isso mexeu comigo! É verdade…como o lado B das pessoas é interessante. Adoro saber. Sempre vejo um profissional super bem sucedido e penso…o que será que ele faz nas horas vagas? Será que ele tem um hobby? Adoro imaginar isso.

E muito rapidamente fui vasculhar a vida da Michelle.

Olhe o que eu achei:

14 anos de experiência nas áreas de Vendas, Marketing e Recrutamento em empresas de médio e grande porte. Atualmente é responsável pelas verticais de Serviços Financeiros, Saúde e Educação da área de Soluções de Marketing no LinkedIn, a maior rede de profissionais da internet.
Especialidades: Relacionamento com Cliente, Desenvolvimento de Negócios, Venda B2B, Venda de Mídias Sociais, Gestão de Equipe, Start-up, Inovação.
Experiência internacional, DJ profissional e maratonista.

Pronto. Virei fã.

Ah! O profissional do futuro? Segundo ela, o profissional precisará ir muito além das habilidades técnicas. Ele vai precisar ter habilidades comportamentais. Acho que isso até dá uma outra conversa!

O currículo de um arquiteto e um designer de interiores

Sempre falo pros meus alunos da importância de um bom currículo e principalmente de um portfólio. Arquitetos e designers precisam mostrar trabalhos. É assim que conseguimos clientes e empregos. Sabe aquele trabalho de faculdade bacana? Então! É assim mesmo que a gente começa. Faça bem feito, com vontade, dedicação e coloque no seu portfólio. É no portfólio que você mostra tudo que domina: softwares, detalhamento, executivo, escrita, apresentação, composição…

Agora, o que me fascinou aqui é que a Michelle está falando das atividades extracurriculares. E isso faz muito sentido. Talvez sejam elas que mostrem quem você realmente é…

Por exemplo não consigo imaginar um atleta, mesmo amador que não seja disciplinado. A pessoa tem foco. Gosta de sair da zona de conforto. Muitas vezes nem é competitivo. Ele compete com ele mesmo. Apenas quer ser cada dia melhor…uau! Quando paro para pensar e escrever isso me da um orgulho danado de mim mesma. Apesar da rotina intensa, não abro mão das minhas corridas. Me desafio semanalmente. Crio um foco, um objetivo e vou.

E você? O que você faz que não está no seu currículo?

Image module

Juliana Stark

Quem está a frente da Escola Desenhar?

 

Olá. Meu nome é Juliana e hoje me apresento para vocês. É bom saber quem são as pessoas por trás da empresa né? Eu gosto…detesto conversar com máquinas. Então posso te contar uma história? Sempre falo isso pros meus alunos no primeiro dia de aula. Gosto de contar a minha história pra quebrar o gelo. Pode ser que ela te ajude de alguma forma. Você que está pensando em estudar arquitetura, ou você que já está cursando arquitetura ou mesmo você que já está no mercado, pode se identificar, inspirar ou perceber caminhos que não quer trilhar de jeito nenhum. Fiquem tranquilos será uma versão pocket, é rapidinho.

Minha escolha pela arquitetura

Acredito que tive sorte. É… porque escolher uma profissão com 16 ou 17 anos e acertar deve ser sorte, só pode ser. Será que temos maturidade suficiente para isso? Bom, mas essa é uma outra história. Nosso papo aqui é outro, uma vez escolhido, o que devo fazer?

Desde pequena gostei de casas. Meu programa predileto de final de semana era pedir pro meu pai me levar no bairro Mangabeiras aqui em BH para eu ficar vendo e sonhando com as casas…

Brincar de boneca? Adorava! Não pelas bonecas mas pela casa que eu criava para elas. Cada dia de um jeito. Já dormia pensando nas mudanças que faria no dia seguinte. E assim me divertia.

Não acho que todo mundo dá sinais na infância da profissão que vai seguir…de jeito nenhum. Mas é que comigo realmente aconteceu isso. Mas por incrível que pareça eu nem falava na profissão.

Anos depois, eu estava com 15 anos e queria muito ir a uma festa. Meu pai falou que era longe, difícil, perigoso me buscar lá de madrugada…aquelas coisas…

Rapidamente fiz um mapa para ele, explicando como chegar. Meu pai abriu um sorriso quando viu o mapa e naquele dia foi a primeira vez que tocamos nas palavras arquitetura e urbanismo.

Escolha feita.

Meu curso

Foram 5 anos intensos. Claro! Quem me conhece sabe que se não for pra ser intenso eu nem vou.

Sempre fui tranquila feito furacão. Já no terceiro período comecei a fazer estágios. Foquei em design de interiores que sempre foi minha grande paixão. Mas uma faculdade e um estágio era pouco pra mim. Sempre ligada no 220v, no meio do curso resolvi encarar o curso de Decoração na UEMG. Dessa forma, me aventurava em dois cursos superiores durante o dia e estagio a noite. Sim! À noite! Em uma escola de AutoCAD. AutoCAD era super novidade na época.

Ainda como estudante me tornei instrutora de Cad dentro da Escola de Arquitetura e lá fiquei por anos ensinando e preparando os novos arquitetos.

No último ano do curso, quando bate aquele aperto, medo e frio na barriga, resolvi dar uma desacelerada. Sei que fui privilegiada, mas meu esforço e dedicação me deram uma oportunidade agradeço todos os dias ate hoje. Tranquei matrícula na faculdade, preparei a mochila e parti pra Milão. Fiz um curso de Design de Interiores e Iluminação, e depois História da Arte. Finalizada minha temporada bateu um desespero de voltar e arrumei a mochila novamente. Fui para Londres. Sobrevivi trabalhando de garçonete enquanto desenvolvia meu inglês.

Meses de muita experiencia e aprendizado. Finalizada a curva que criei pro meu caminho, voltei e encarei o TFG (trabalho final de graduação).

 

Enfim arquiteta

Feliz? Não! Apavorada. Não tinha dinheiro nenhum. Estava disposta a qualquer emprego, mesmo se não fosse na área. Hora de colocar o networking para agir. Liguei para o Gustavo Greco, que na época era um designer foda e hoje eu não tenho nem adjetivo para descreve-lo. O cara hoje é uma das principais referências do design no mundo. Bom, pedi para o Gustavo usar o networking dele e me arrumar um emprego. BINGO! Deu certo. Trabalhei dois anos na loja de móveis mais chique de BH. TETUM. Foi lá que aprendi muito do que sei hoje. Tanto na vida profissional quanto pessoal.

Depois disso trabalhei em marcenaria, aprendi no chão de fabrica sobre execução de mobiliário. E durante todo o tempo dando aulas de AutoCAD a noite na Escola de Arquitetura.

Me estabilizei. Ganhei o dinheiro que precisava naquele momento e criei coragem e asas. De lá pra cá muita coisa aconteceu. Era hora de empreender.

Eu hoje

Com mais de 15 anos de formada, posso dizer que estou bem feliz. Passei pelo caminho tão sonhado do escritório próprio, dezenas de projetos executados, muitas participações em mostras de decoração, entre elas 3 Casa Cor. Me formei sonhando com isso! Era o que eu queria e me imaginava fazendo.

Lembra aquele ritmo insano que eu levava durante a faculdade? Pois é…continuou. Abri escritório, abri minha própria escola de softwares, me especializei em Design de Interiores, me tornei mestre em Arquitetura e Urbanismo, o que possibilitou me tornar professora universitária e anos depois eu abri um estúdio de design.

Com o leque já bem aberto e experimentando de tudo resolvi fechar o escritório no ano que tiver maior número de projetos. Isso me dá tranquilidade e calma para dizer que fiz o que meu coração mandou naquele momento.

Criei coragem e me declarei empresária. Hoje estou à frente da Escola Desenhar e do Stark Studio. Já teria muito orgulho de parar por aqui. Mas… minha paixão por compartilhar experiencias não me deixa fora da vida acadêmica. Sou professora nos cursos de Arquitetura e Design de Interiores na UNA. Eu realmente sou apaixonada por compartilhar experiencias. Isso me move. Por isso me dedico tanto a Escola Desenhar. Gosto de participar da formação de novos profissionais. Gosto de ajudar, tirar dúvidas, arrumar empregos, contar histórias…

Bom, essa sou eu. A Juliana da Desenhar. Minha história me ensina que as vezes o desespero bate mesmo. Me ensina que podemos mudar de ideia. Me ensina que quando a gente gosta e faz com vontade, dá certo.

 

 

A arquitetura é generosa

Isso tudo é pra dizer que o guarda-chuva é grande…bem grande…eu só tenho a agradecer a arquitetura por tamanha generosidade.

Eu tenho amigos no patrimônio, na arquitetura hospitalar, comercial, residencial, interiores, mobiliário, prefeitura, sudecap, lojas, ou trabalhando em escritórios de terceiros…

Seja qual for o caminho, saiba que não será fácil. Fácil não é. Sempre que penso: “está difícil”, uma voz interna me lembra: “se fosse fácil qualquer um faria”.  Ah é! Lembrei.

Então posso te dar um conselho? Experimente. Aproveite. Descubra-se. Se quiser, mude.